A curricularização da extensão, também conhecida como integralização da extensão, representa a inserção das atividades de extensão no currículo dos cursos.

Você já ouviu falar em curricularização da extensão?

A curricularização da extensão, também conhecida como integralização da extensão, representa a inserção das atividades de extensão no currículo dos cursos. Essa inclusão está prevista no Plano Nacional de Educação (PNE) e foi regulamentada pela Resolução nº 7 MEC/CNE/CES, de 18 de dezembro de 2018. A regulamentação prevê que, pelo menos, 10% do total de créditos curriculares exigidos para a graduação sejam preenchidos em programas e projetos de extensão universitária.

Mas, o que significa extensão universitária?

A extensão universitária é a atividade que se integra à matriz curricular e à organização da pesquisa, constituindo-se em processo interdisciplinar, político educacional, cultural, científico, tecnológico, que promove a interação transformadora entre as instituições de ensino superior e os outros setores da sociedade. Ela ocorre por meio da produção e da aplicação do conhecimento, em articulação permanente com o ensino e a pesquisa.

São consideradas atividades de extensão as intervenções que envolvam diretamente as comunidades externas às instituições de ensino e que estejam vinculadas à formação do estudante. As atividades extensionistas podem ser enquadradas em cinco modalidades: programa, projeto, curso, evento e prestação de serviços. E, preferencialmente, dentro de áreas temáticas que envolvam comunicação, cultura, direitos humanos, educação, meio ambiente, saúde, tecnologia e trabalho.

Por que a curricularização da extensão é importante?

A curricularização da extensão assinala a extensão universitária como parte fundamental da formação acadêmica, pois determina a sua inclusão obrigatória nos currículos de graduação. Esse processo reconhece a importância da articulação entre teoria e prática, direcionando o estudante em uma perspectiva voltada para a realidade social.

Os estudantes são estimulados a pesquisar e a intervir em situações reais da comunidade, o que, além de permitir o desenvolvimento de habilidades e competências necessárias à atuação profissional, também possibilita uma formação cidadã e comprometida com a transformação social. A curricularização da extensão realça o papel social da universidade, bem como a relevância social do ensino e da pesquisa.

Aplicação da curricularização da extensão nas instituições de ensino superior

De acordo com a Resolução Nº7 – 18/12/2018 CNE/MEC, que aponta as diretrizes para a extensão na educação superior brasileira, as IES teriam o prazo de até 3 (três) anos para a implantação do disposto na resolução. No entanto, no despacho de 24 de dezembro de 2020, ficou estabelecida a prorrogação dessa data. Assim, a data limite para implantação da extensão nos currículos dos cursos de graduação passou a ser 19 de dezembro de 2022.

Melhorar e facilitar processos é com a Plataforma SAGRES!

Está acabando o prazo para implementar a curricularização da extensão nas instituições de ensino superior. E, além das adequações que devem ser realizadas nos Projetos Políticos Institucionais (PPIs) e nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs), as IES devem buscar plataformas educacionais que permitam tornar esse processo mais ágil.

A Plataforma SAGRES possibilita a integração do sistema acadêmico, facilitando a inserção dos projetos de extensão pelos docentes e registros das atividades pelos discentes. Converse com um consultor sobre todas as potencialidades da plataforma.

 

Compartilhar: